Arquivo da tag: Braga

Os Estudos Galegos no norte de Portugal

Fernando Groba

Professor-leitor de galego na Universidade do Minho (2014-2016) 

Tal como os restantes centros de estudos galegos, o Centro de Estudos Galegos (CEG) da Universidade do Minho (UM) surgiu através dum protocolo de cooperação entre a Xunta de Galiza e uma universidade de destino. Neste caso, o CEG da UM foi criado em 1997 graças à iniciativa do Professor Doutor Vítor Manuel Pires de Aguiar e Silva e trata de divulgar e dar a conhecer a cultura galega em todas as suas formas e manifestações (língua, música, literatura, cinema, história, arte, gastronomia, festas populares e un longo etc.) dentro da própria Universidade e em toda a sua área de influência.

A sua proximidade geográfica (situado a tão só 70 km da fronteira com a Galiza) converte-o numa verdadeira ponte de união e conexão entre as culturas galega e minhota, duas culturas tão próximas como, por vezes, muito desconhecidas. E é aí que o CEG quere dar a conhecer o pasado comúm que teve a Galiza e o Norte de Portugal (curiosamente pouco ou nada conhecido para quem mora em Portugal) e quer apresentar e partilhar o presente.

O leitor do CEG da UM está integrado no Departamento de Estudos Românicos (DER) desde o ano lectivo 2011/2012, um dos sete departamentos do Instituto de Letras e Ciências Humanas (ILCH), e depende diretamente da Presidência deste Instituto. Atualmente desempenha o cargo a Doutora Eunice Maria Silva Ribeiro, que delegou funções no coordenador da Área de Estudos Espanhóis e Hispano-Americanos do DER, posto que atualmente desenvolve o Doutor Pedro Dono.

O CEG da UM asegura a lecionação dos cursos livres de galego do Babelium Centro de Línguas do ILCH que agrupam alunado muito diverso mas todos têm em comum uma sede de conhecimento “galega”. Os cursos têm diferentes níveis, desde o B1 até ao C1, e são preparatórios para conseguir os Certificados de Língua Galega (Celga) oficiais da Xunta de Galiza. A Unidade Curricular Literatura e Cultura Galegas é uma opção que funciona dentro dos Cursos de Estudos Culturais, Línguas e Literaturas Europeias, Estudos Portugueses e Lusófonos, Filosofia e alunos Erasmus. O Seminário Património Galego-Português faz parte do programa de intercâmbio Via Láctea que traz à UM estudantes das Universidades japonesas de Aichi e Kanazawa.

Além disso, organiza e colabora em atividades de difusão cultural. Entre elas, destacamos o programa radiofónico semanal Galiza mais Perto, que emite a Rádio Universitária do Minho todas as quartas-feiras às 21h; o Dia da Galiza em Braga, que este ano chegará à sua 4ª edição; o Encontro Minho-Galiza e a Semana Cultural Convergências Portugal-Galiza, na 2ª; ou uma viagem de estudos à Galiza em que o CEG leva todos os alunos e alunas que fazem parte das suas cadeiras, cursos e seminários nesse ano académico a conhecerem, durante dois dias, aspetos culturais da Galiza. Em todas estas atividades, o CEG gosta de convidar a pessoas galegas destacáveis no ámbito cultural e implicar e valorizar o trabalho do seu próprio alunado e de todas aquelas pessoas que gostam de colaborar com o Centro.

Anteriormente, foram leitores do Centro: Pedro Dono (1997-2002), Iolanda Ogando (2002-2003), Carlos Pazos (2003-2008), Inés Rodo (2008-2011) e María Luisa Moreda (2011-2014). E é destacável também que, dos 5 leitores que por ele passaram, 3 continuam a trabalhar para o DER como professores de espanhol.

Dados de contato:

Email: ceg@ilch.uminho.pt

Tel.: (00351) 253 601 660

Endereço postal: Centro de Estudos Galegos – ILCH, Campus de Gualtar, Universidade do Minho, 4710-057 Braga (Portugal)

Anúncios

Dia da Galiza em Braga. Sábado 30 de abril

O Centro de Estudos Galegos da Universidade do Minho, em colaboração com os alunos e alunas das matérias de Cultura e Literatura Galega desta Universidade, organiza o próximo sábado 30 de abril a 4ª edição do Dia da Galiza em Braga. As atividades terão lugar no Mosteiro de Tibães das 15:00 às 19:00 horas e a entrada é gratuita.

Entre as atividades destacam conferências, shows musicais, recitais e degustações gastronômicas. O programa completo é o seguinte:

12919811_669171223221286_6872150880089645617_n

12814387_656415877830154_3255834463103626449_n.png

Mais informação na página do facebook do Dia da Galiza em Braga

2ª Semana Cultural – Convergências Portugal-Galiza

 

Vendo-os assim tão pertinho, / a Galiza mail’ o Minho, / são como dois namorados / que o rio traz separados / quasi desde o nascimento.

Deixal-os, pois, namorar / já que os paes para casar / lhes não dão consentimento.

Estes versos do poeta raiano João Verde refletem muito bem a filosofia da Semana Cultural Convergências Portugal-Galiza, um acontecimento nascido em 2015 e que chega à sua segunda edição entre os dias 20 e 27 de fevereiro de 2016. Uma iniciativa que surgiu para homenagear ao Zeca Afonso, pelo seu passamento, e à Rosalia de Castro, pelo seu nascimento, mas que começa agora a converter-se num evento de maior envergadura. Uma semana que, em 2016, partilha atividades entre Portugal e a Galiza.

Este ano, os atos comemorativos começam na Galiza com uma homenagem ao Zeca Afonso, mais concretamente em Santiago e em Padrón. Ali, no parque que tem o seu nome, no Burgo das Nacións, uma Delegação composta por representantes da Associação José Afonso (AJA), da União de Freguesias de Nogueiró e Tenões de Braga e do Grupo Canto D ´Aqui levarão a cabo um ato de homenagem que inclui a colocação de um ramo de flores precisamente no lugar onde José Afonso, pela primeira vez, em 1972, cantou “Grândola Vila Morena”.

Depois, os “festejos” continuarão na Fundación Rosalía de Castro em Padrón. De início, haverá uma conferência do professor Eduardo Pires de Oliveira “Minho/Galiza – 2000 anos de mãos dadas” seguido de um concerto do Grupo Canto D’Aqui de Braga.

Terminada a parte galega, os atos da Semana Cultural e da homenagem ao Zeca retomam-se na terça-feira, dia 23, já em Braga com a apresentação, a cargo de Paulo Esperança (Vice-presidente da Associação José Afonso), do livro José Afonso Andarilho nas Astúrias com a presença do autor, Mário Correia. Durante o ato, haverá momentos musicais e colaboração do guitarrista e professor Artur Caldeira e a participação do Coletivo Irmãos de Fala.

Já nos dias 24 e 25, a vez será para o concerto-homenagem ao nascimento de Rosalia, o descerramento de uma placa alusiva á convergência Portugal (Minho) Galiza na rua Rosalia de Castro de Braga e o colóquio com convidados e convidadas excecionais na cultura galego-portuguesa. Serão a Uxía e os Galandum Galundaina os encarregados de montar uma festa sem igual no Conservatório de Musica Calouste Gulbenkian.

A pessoas que vão participar no colóquio-tertúlia (que também será amenizado com momentos musicais) serão: Henrique Barreto Nunes, bibliotecário; Rosalía Morlán Vieites, poeta; Eduardo Pires de Oliveira, historiador de arte na Universidade de Lisboa; Anxo Angueira, presidente da Fundação Rosalía de Castro; Valentín García Gómez, secretário geral de Politica Lingüística da Xunta de Galiza; Eunice Maria da Silva Ribeiro, responsável pelo Centro de Estudos Galegos e Presidente do ILCH da Universidade do Minho; e Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga e Vice-presidente do Eixo Atlântico. Será Aida Alves, diretora da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, quem modere o evento.

Na sexta, a festa luso-galaica continuará com os concertos dos grupos Primo Convexo (Braga) e Pédopôté (Mondariz) no Teatro do Liceu Sá de Miranda de Braga. E já no sábado, uma clausura (encerramento) vertiginoso, com o concerto do grupo Canto D’Aqui (Braga) e da banda de Roi Casal (Catoira) no Theatro Circo.

Nos diferentes dias serão o Fernando Pena, a Marisa Moreda e o Camilo Silva os encarregados de apresentar toda esta gala do património cultural galego-portugués.

Como complemento à Semana Cultural, o Centro de Estudos Galegos da Universidade do Minho levará a cabo um workshop sobre aspetos da cultura galega. Nele participarão o professor Eduardo Pires de Oliveira com a comunicação “Minho/Galiza – 2000 anos de mãos dadas” e a poeta Rosalía Morlán com uma intervenção que leva por título “Qual é o segredo de como nasce e se cria uma poeta”.

920843_858108700965565_5331415110633730684_o

12079873_858108780965557_6914867587847698271_o.jpg