Música galega e música brasileira, o que há em comum?

Ana Sousa e Sara Aguillar

Alunas de Introdução à Cultura Galega e Língua Galega na UERJ

Introdução

O presente trabalho visa analisar e comparar a música galega com a música brasileira. Desde a influência da cultura celta presente em algumas músicas galegas, até a influência da música brasileira na música galega e vice-versa, traçando pontos em comuns e divergentes.

Foram entrevistados dois galegos: Diego Rico e Ingrid Ferreiro, que nos indicaram algumas músicas, tais como “Brasilego” (que será mencionado mais a frente) e algumas músicas de diversos gêneros, como rock, rap e de origens celtas como a cantora Uxía. Em relação aos dois entrevistados, nos chamou atenção seus gostos musicais diferentes. A Ingrid, não se interessa por músicas de origem celta, tem preferência por músicas mais modernas, já o Diego gosta dessa variedade.

Na busca pelas semelhanças culturais dos dois países, mais uma vez fomos surpreendidas, já que ambas as culturas, através da música, tem uma forte ligação. Um desses elos é o cantor Sérgio Tannus, que se especializou em unir as duas culturas em um gênero de música denominado pelo mesmo de “Brasilego”. Neste gênero, são misturadas coisas típicas do Brasil e da Galícia. Será feito no presente trabalho, análises comparativas verificando a forma como a temática, pertencente ao mesmo gênero, é tratada.

Começando pelo gênero musical Rap, confrontaremos o cantor Gabriel Pensador, através da música “2345MEIA78, com a banda Som do Galpom, com a música Inconforme”. Após, falaremos do gênero Rock apresentadas pela banda Mamonas Assassinas, por meio da música “Pelados em Santos”, confrontando com a banda galega Heredeiros da Cruz, com a música “Non quiero nada de ti”.

Análise: música brasileira e galega. O Rap e o Rock

O rap

Entre os mais diversos tipos de músicas existentes, resolvemos analisar o rap, um estilo de música não muito apreciado. O Rap surgiu por volta da década de 80. No Brasil, surgiu com grupos de periferias e favelas que se reuniam na estação de São Bento em São Paulo, neste momento o movimento punk começava a surgir.

Por se tratar de pessoas de classe social desprestigiadas, esse estilo de música sofria preconceitos e muitas pessoas acreditavam que se tratava de um estilo de música violento. Geralmente os raps eram feitos com críticas ao racismo, preconceito, injustiça social ou piadas com histórias quaisquer, geralmente voltadas para sacanagem.

Nos dias de hoje o Rap está incorporado no cenário musical brasileiro. Venceu os preconceitos e saiu da periferia para ganhar o grande público. Dezenas de CDs de Rap são lançadas anualmente, porém o Rap não perdeu sua essência de denunciar as injustiças, vividas pela pobre das periferias das grandes cidades.

Analisando a música “2345MEIA78”, Gabriel Pensador

Gabriel Pensador
Gabriel Pensador

Podemos perceber que se trata da história de um homem, que ao se deparar sozinho em um fim de semana, decide ligar para todas as mulheres de seu caderninho, caderno este, de possíveis pessoas que o mesmo já havia ficado antes. A música relata que a tal pessoa, “estava no osso”, ou seja, havia muito tempo sem sair com ninguém, e por isso, precisava mudar essa realidade. O contexto temporal da música é percebido pela estrofe: “Apanha umas fichas e corre prum orelhão”. Como se sabe, hoje em dia as fichas deixaram de ser usadas e o orelhão praticamente desapareceu, portanto, não é uma música atual.

Mesmo com essa letra tão satírica, voltada para a sacanagem, este rap se tornou sucesso, sendo uma das canções mais reconhecidas de Gabriel Pensador na década de 90. Ao ser perguntado de onde surgiu a inspiração para a música, Gabriel disse que a música foi feita “meio na brincadeira” em 1996, porém teve algumas inspirações de suas experiências pessoais.

A imagem da mulher em uma parte da música, é associada a comida: “Meu caderninho de telefone parece um cardápio, E faz um tempo que eu não como nada”, e essa estrofe da margem a diversas interpretações. A desvalorização da mulher, vista como sendo um produto a ser consumido foi predominante por muito tempo. Por muitos ela era tratada como um objeto descartável a ser usado, e depois deixado de lado.

Em contraposição a isso, a letra da música segue e o indivíduo da música liga para todas as letras do alfabeto, e não consegue marcar um encontro com nenhuma. Ou seja, a mulher possuía sua vontade, sua autonomia. Assim, não aceitaria sair com um cara que provavelmente, já conheciam a fama.

Há a também, a crítica à igreja evangélica, onde a única pessoa que aceitou seu convite, o enganou e acabou levando-o à igreja com a explicação de que queria que o mesmo “comprasse uma vaga lá no céu”, ou seja, queria que o indivíduo saísse da vida de libertinagem e passasse a outra realidade. Comprovando assim, que as pessoas com as quais ele tentava sair já o conheciam.

Outra crítica surge quando a mulher alega que não pode fazer sexo com ele, já que segundo as religiões cristãs, esse ato só pode ser consumado após o casamento. O personagem debate e finaliza falando para que a mulher ficasse quieta, e aceitasse o que ele estava querendo desde o princípio.

Analisando a música Inconforme, de O Som do Galpom

O Som do Galpom
O Som do Galpom

A música trata das mudanças contínuas do tempo e da insatisfação do sujeito com a sua realidade. Há na música, uma espécie de frustação por parte do personagem, pois ele não consegue alcançar suas metas em decorrência do que ocorreu no passado. O mesmo se mostra uma pessoa fria. Tem a consciência de que as pessoas não gostam dele e mesmo isso não o incomodando, ele quer liberta-se.

Há ao longo da música, a constante busca por uma saída. É como se o personagem a todo o momento, estivesse tentando se livrar de uma culpa, culpa esta, que não é revelada com nitidez na música.

Há também uma crítica à nossa realidade, onde tudo é passageiro, é fugaz. As pessoas, já não se reconhecem mais, ignoram o seu próximo como se fossem superior a ele. É dito na letra que vivemos em um mundo de “cimento”, em que a realidade é posta como imutável, e, portanto o indivíduo é passível ao contexto em que vive. Essa conformidade social é posta em cheque e debatida mediante a inquietação do eu-lírico.

A canção é a única saída encontrada pelo mesmo, uma espécie de refúgio no qual ele se sente protegido e se reconhece. Através das palavras, há a tentativa de encontrar a si mesmo. Elas são proferidas com sinceridade, porém, é questionada o quanto vale a sinceridade hoje em dia: “Perdido entre palavras/ Que quisiero ser sincera/Sin no sirven para nada…”, visto que vivemos em um mundo fugaz, no qual as pessoas se desencontraram do seu próprio eu, deixaram de viver para si e passaram a viver de aparências.

A presença do violino é um fator que faz lembrar as músicas celtas. Sabendo que o rap na Galícia geralmente foi originário a partir de músicas celtas, a hipótese é então confirmada.

O grupo Som do Galpom tem por característica composições de músicas que expressam não apenas a liberdade, como também o confronto e a insatisfação com questões contemporâneas, como podemos perceber na música a questão da perca da identidade.

O Rock

Outro gênero de música analisado foi o Rock. Porém não o rock em seu contexto geral, e sim um rock com o estilo cômico ou teatral. Neste estilo bastante peculiar, os autores ironizam, brincam com assuntos polêmicos da sociedade, ou com histórias que acontecem até mesmo com os próprios cantores.

Analisando a música Pelados em Santos, de Mamonas Assassinas

Mamonas Assassinas
Mamonas Assassinas

No Brasil, uma banda de rock que se tornou muito conhecida e famosa por fazer esse tipo de rock foram os Mamonas Assassinas. O que caracteriza essa banda era exatamente o tipo de rock que tocavam, era uma mistura de rock bem tocado com o humor. Essa talvez seja a maior definição para a banda Mamonas Assassinas, que se imortalizou no cenário nacional com apenas um álbum lançado em decorrência de um acidente aéreo que interrompeu a carreira dos jovens.

Com letras irreverentes e músicos fantasiados, essa banda arrastou multidões e fez de palavrões palavras comuns aceitas até por famílias mais severas às novidades.

A música Pelados em Santos, embora de uma forma inusitada, apresenta uma letra romântica. A história se desenvolve em torno da tentativa do homem de conquistar uma mulher. Assim como na música do Gabriel Pensador, novamente vemos a presença da mulher independente, que não se rende aos encantos do homem sedutor. Vemos também, a contemplação do homem à mulher relacionado a seu corpo. O homem está encantado pela mulher, pois ela tem o cabelo bonito, é metaforicamente um violão, e é linda (adjetivo constantemente repetido na música).

Se comparada com o personagem da música do Gabriel, o indivíduo dessa música é mais comportado, já que ele se apresenta interessado por uma única mulher, e até propõe-lhe casamento. Porém, mesmo com todas as negativas de sua amada, ele não desiste de conquista-la e de demonstrar seu amor platônico.

As marcas populares da época como “chuchuzinho, docinho de coco, pra mode”, além de palavrões e gírias, eram constantemente usadas nas músicas da banda sem pudor. Esses recursos transformaram-se em uma marca dos Mamonas e fez com que o humor fosse original, diferenciando-se de tudo o que já se tinha visto na música.

Analisando a música Non quero nada de ti, de Heredeiros da Crus

Heredeiros da Crus
Heredeiros da Crus

Comparando-os com a Galícia, encontramos uma banda que também produz esse estilo de Rock, a banda Heredeiros da Crus. A satirização de coisas ocorridas no âmbito social e a forma como estes acontecimentos são passados de forma engraçada, além do uso de palavrões, se assemelha aos Mamonas. Esta banda galega foi fundada em 1992, um pouco antes dos Mamonas, porém só em 1997 que tiveram mais êxito.

Na música Non quero nada de ti, é feita uma critica à mulher com a qual o homem se relacionou. Segundo o contexto, o homem ofereceu tudo a mulher e ela o desprezou: “eu che ofresín de todo corasón, a cosiña, a salita e a miña habitación”. A revolta do homem se dá quando ela se arrepende e volta a procurá-lo, provavelmente depois de ter se desiludido com outras pessoas.

Além de não ficar com a pessoa, a mulher o difamou para de certa forma, justificar o porquê de não ter ficado com ele. “Dis por ahí que ando borracho como um can, que son um desjrasiado e que me portei moi mal…”. A falta de caráter da mulher contrapõe-se à atitude do homem, que quis ter um relacionamento sério e foi deixado de lado.

A indignação do homem é manifesta ao longo de todo o texto, e por fim, ele roga a mulher que faça assim como ela o fez no passado lhe ignore, que não o olhe ao vê-lo passar. A música é finalizada com o desejo do homem que aconteça o mesmo com a mulher. Ou seja, que ela encontre uma pessoa e que esta faça o mesmo que ela fez a ele: a despreze. Como diz o dito popular brasileiro “AQUI SE FAZ, AQUI SE PAGA”.

Conclusões

Vemos que o papel desempenhado pelo homem, é de desilusão pela vida, assim como a letra da música Inconforme. Vemos também, que o comportamento do homem é totalmente diferente dos comportamentos apresentados nas músicas brasileiras: 2345MEIA78 e Pelados em Santos, visto que o homem não está interessado apenas no sexo ou em saciar suas vontades momentâneas, tampouco há a presença da estética feminina como um relevante para a escolha da mulher a ser amada. O lado familiar está muito mais em evidência.

Em suma, vemos como as culturas (galega e brasileira) possuem um dialogo entre si e essas semelhanças, acabam por fundir as duas culturas. Essa percepção não é apenas nossa, foi observada também pelo brasileiro Sérgio Tannus, que decidiu unir as duas culturas e os dois estilos de música em uma só, intitulada Brasilego.

Este elo por nome Sérgio é um cantor brasileiro, da cidade de Niterói, que se intitula Brasilego. Ele vive em Galícia a cerca de seis anos, e através da sua interação com os galegos realizou seu sonho de juntar ambas as culturas em um só estilo de música. Para sua surpresa, surgiram cerca de 43 pessoas, colaboradores que contribuíram para a realização do seu projeto.

Concluímos que mais uma vez a cultura galega vem nos surpreendendo e mostrando que ela nos é intrínseca. Como diz Sérgio Tannus em sua canção “Son Brasilego”, “nós somos irmãos da mesma raiz, somos da mesma semente”, portanto, devemos nos permitir conhecer, pois conhecendo mais a cultura galega, estaremos nos descobrindo, conheceremos mais a nós mesmos. Portanto, tantas semelhanças não são mera coincidência. Assim como afirma Tannus, com dois países, somos muito mais ricos. Cabe a nós nos aproveitarmos desses bens.

Vimos que o nosso “jeitinho brasileiro”, meio marrento, meio malandro como na música do Gabriel Pensador é uma marca cultural. Porém o galego também possui seu jeitinho, sua identidade que acaba conquistando-nos, como no rap do Som do Galpom, que nos faz pensar sobre questões relativas a sociedade, e faz com que reavaliemos nossa conduta. E é claro, Mamonas Assassinas com Heredeiros da Crus, tem muito em comum, não só na forma como fazem o rock, como na presença do estilo cômico também.

Cremos que devemos nos permitir viver novas aventuras, apreciar novos jeitinhos, como o galego, que junto ao brasileiro nos tornará pessoas mais esclarecidas, apreciando assim um mundo novo, uma convivência livre de fronteiras.

Referências Bibliográficas

http://www.diarioliberdade.org/artigos-em-destaque/407-cultura-m%C3%BAsica/34238-s%C3%A9rgio-tannus-%E2%80%9Ca-mistura-galego-brasileira-surge-de-forma-natural%E2%80%9D.html, acessado em 06 de dezembro de 2014.

http://www.blogoteca.com/mollatecoalingua/index.php?cat=11149, acessado em 06 de dezembro de 2014.

http://www.suapesquisa.com/rap/ , acessado em 06 de dezembro de 2014.

http://www.musica.com/letras.asp?letra=1239894 , acessado em 06 de dezembro de 2014.

http://lusotunes.blogspot.com.br/2013/03/son-brasilego-by-sergio-tannus.html , acessado em 03 de novembro de 2014.

http://brasileirissimos.xpg.uol.com.br/rock-pra-rir/ , acessado em 20 de novembro de 2014.

http://www.diarioliberdade.org/artigos-em-destaque/407-cultura-m%C3%BAsica/34238-s%C3%A9rgio-tannus-%E2%80%9Ca-mistura-galego-brasileira-surge-de-forma-natural%E2%80%9D.html , acessado em 03 de novembro de 2014.

http://www.diarioliberdade.org/galiza/cultura-m%C3%BAsica.html, acessado em 06 de dezembro de 2014.

https://www.youtube.com/watch?v=Y9g-1GOwXvM , baixado em 10 de novembro de 2014.

https://www.google.com.br/search?q=pelados+em+santos&ie=utf-8&oe=utf-8&aq=t&rls=org.mozilla:pt-BR:official&client=firefox-a&channel=fflb&gfe_rd=cr&ei=loyDVIW2KKSk8wfu2IGQAQ, baixado em 10 de novembro de 2014.

https://www.youtube.com/watch?v=dQMKEeXubrQ, baixado em 10 de novembro de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s